Sua evolução técnica precisa acompanhar a sua evolução comportamental e sua carreira depende disso.

Soft Skills nada mais são do que habilidades e competências que juntas representam a personalidade e o comportamento profissional.

Dos artigos do tipo “lista de 30 coisas se fazer até final do ano” escolhemos a lista de soft skills desenvolvida pelo site Hacker Noon para compor nosso este artigo e a faremos em uma seleção mais resumida, com as 5 que deveriam fazer um desenvolvedor se avaliar hoje.

1. Comunicação

Deixamos a comunicação como a primeira e mais importante da lista pois olhando diretamente para desenvolvedores a falta dela causa resultados muito indesejados.

Ela é tão importante que as demais habilidades listadas abaixo são relacionadas à comunicação/

Temos percebido que muitas vezes o assunto “Como anda sua comunicação?” passa “batido”, ou seja, sem ser notada como deveria por muitos desenvolvedores e sabemos que não é uma questão de descaso mas sim de uma percepção incorreta mesmo, na maioria dos casos.

Não é porque falamos que nos comunicados adequadamente. Comunicação é além do falar pois ela se expressa de várias formas como em alguns exemplos:

  • Ao escrever um código, você está se comunicando. E não é com a máquina porque ela entenderá tudo // desde que não haja erro de sintaxe
  • Ao escrever uma documentação, está se comunicando
  • Ao revisar código dos outros, está se comunicando
  • Ao participar de uma reunião, está se comunicando
  • Ao tirar uma dúvida com a equipe ou com o freguês, está se comunicando
  • Ao apresentar uma solução ou defender uma tecnologia, está se comunicando

E é fato: muitos dos erros que acontecem são por falta e/ou falha de comunicação.

Contudo, isso é um erro que o desenvolvedor deve assumir pra si e corrigir pois geralmente temos a falsa sensação que problema na comunicação são causados por ambas as partes mas isso é apenas um cobertor para desculpas.

2. Trabalho em Equipe

Existem esportes individuais e os em equipe.

Em software, jogamos em equipes.

Em um time de futebol, por exemplo, você precisa trabalhar com os jogadores de futebol, comissão técnica, assessores, dirigentes e empresários, e por aí vai.

Em software, temos nossos desenvolvedores, designers, líderes, POs e PMs, gestores e os fregueses. E todos devem buscar juntos o mesmo objetivo.

Quando alguém é integrado à equipe a forma como este time recebe este novo integrante importa, pois em tese, todo mundo já foi um iniciante ou um novo integrante de time e também recebeu as primeiras instruções até se adaptar.

Trabalhar em equipe é fazer com que 3 pessoas juntas façam mais ou melhor que 3 pessoas separadas e por isso não faz sentido trabalhar em equipe mas isolado.

3. Receptividade e Bom Relacionamento

Em algum momento, alguém vai querer te perguntar algo. Pode ser sobre suas tarefas do dia, sobre um problema ou bug, ou apenas sobre seus planos para o fim de semana.

Ser receptivo é a chave. Se as pessoas acham que não podem se aproximar de você e perguntar algo, quando algo dá errado, é menos provável que peçam ajuda. Isso pode significar que um pequeno problema logo evolui para um grande problema.

Não ser receptivo ou prestativo também significa que é menos provável que outras pessoas o ajudem, caso você precise. Se você pode estabelecer um relacionamento com as pessoas, é mais provável que elas trabalhem com você e não contra você.

4. Paciência

Todos sabem que trabalhar entre desenvolvedores é fácil. Mas paciência é o todo.

Pensamos, geralmente, sempre dentro da mesma caixa, gostamos, geralmente, das mesmas coisas e passamos a ser respeitados por códigos e entregas. Os demais envolvidos não conseguem (e nem deveriam) ser medidos com a mesma régua e falhamos nisso.

Nem todo mundo entende como a programação é difícil ou quanto tempo leva para escrever um código. Eles podem pedir que você faça algo sem perceber o escopo do que estão pedindo. Isso pode causar frustração. Leve o seu tempo para explicar por que não é tão simples quanto eles pensam e para responder a quaisquer perguntas que eles tenham. Depois de dedicar um tempo para fazer isso, as sessões futuras se tornarão muito mais fáceis.

5. Gestão do Tempo

Este tema é assunto suficiente para um livro e existem vários. Com a chegada da Covid-19 e do trabalho remoto em alto grau

Tempo é um ativo simples, finito e por isso é uma das formas mais usadas para se medir primariamente atividades e a partir disso gerar outros indicadores como produtividade, qualidade, etc. Em soft skills estamos falando de tempo sob o olhar da gestão do mesmo.

Técnicas de gestão de tempo como Pomodoro, por exemplo, ou mesmo de gestão visual como Kanban podem lhe ajudar a conhecer melhor o seu tempo e o andamento de suas atividades.

Tais técnicas se aperfeiçoadas irão lhe entregar um feedback rápido sobre seu dia de trabalho, se produtivo ou não, se gasto em muitas reuniões ou desvios e assim sucessivamente.

O importante é que as equipes tenham sua gestão mas que VOCÊ também tenha a sua ainda mais em tempos de home-office, remoto ou híbrido.

1 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia Mais

Sejam bem-vindos Recrutas

Demos início hoje ao nosso Programa de Recrutas para times de tecnologia. Foram aproximadamente 100 inscrições que resultaram…